Criar Redação Unidades      Instagram     Facebook     YouTube     Telefones     Contato       
Você está aqui: Home > Poeta de Gaveta

Me encontro num mundo errante

Cercado de agonia

Prefiro o caos eternamente

Com o brilho da poesia,

Em seus olhos a semente

Que germina a essência do meu dia.

 

João Pedro Lellis Guerra

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 

Nesse capitalismo, a coita não mais existe

Olho pela janela e vejo chuva

Não mais cena de amor

Com ou sem enjambement não mais me vê,

                                                                 Já passei.

 

Mateus Astun Cirino

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 

Vivo a perseguir o ideal

‘inda que pra isso

Diga não a uns deleites

Ao mundo que foi dito avisem: “estou indo!”

Ivan Ribeiro Barreto da Costa

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 

O papel em branco é agora

O maior desafio

Precisa ser preenchido com palavras

Mas elas não vêm

As ideias não se organizam

Quando criança era mais natural

Tudo é mais natural na infância

 

Hoje, sou antinatural

 

Laura Adami Nogueira

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
Saudade

A saudade é um rio

Nunca pára de passar

Filetes de lembrança escorrem inocentes

 e inundam

Devagarinho

Os pés, o pescoço do pescador

A contemplar, à margem,

A sucessão das águas:

O peixe já está no mar!

 

A saudade é um cio

Um vil cio

À espera da piracema

A saudade nunca pára de voltar…

 Paul Degas

 

 

 

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
Por que você foi presa?

Na alimentar cadeia poética

Você foi presa

Ostentou

Fingiu fugir

Mas foi presa

Serviu de abate

A olhos famintos implacáveis

Nem tentou sobreviver

Às presas predadoras

Presa prisioneira

Incomunicável dentro de si

Fugindo célere

De um falso comedor:

O leão era borboleta

E não queria carne

Queria flor.

Paul Degas

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
Poema gramatical para um ex-amor pretério

Dos tempos pretéritos

Do subjuntivo modo

De nosso amor imperfeito

Indico afirmativamente

No presente do persuasivo

Que novo amor irá imperar

Nas formas nominais de teu codinome.

 

Particípio agora

Com toda fome

Meu infinitivo desejo

De tornar-me teu gerúndio

Gerando-te, mais que um novo tempo

Um modo novo de vida

No presente mais-que-perfeito

Do poesitivo.

 

Paul Degas

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
Os templos modernos

Da afeição e doçura

Venho beber nos templos modernos

São edifícios sem vitrais, sem incenso

São lugares escuros, marginais

Antros  para loucos

Para poucos

São templos insanos

Peripécios

Os bares secretos onde bebo saudades

Nestes tempos memoráveis

Moderno demais para estar lúcido

Saudoso e em pranto para estar morto

Desnudifico-me  e puro fico

Em paz comigo

Em tempo….

Nos templos modernos….

 Paul Degas

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
No presente

Íamos ao cinema

Íamos às estrelas

Ao ápice íamos

Nos embriagávamos

De poesia e de nossa solidão

E não íamos a nenhum lugar

O mundo estava em nosso coração

Onde está o nosso coração?

 

Paul Degas

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
Entrem a intenção e o gesto

Gestou o tempo das intensas intenções

gestaram-se canções

cansadas licenças de sãs e insones metaficações

foi-se o fórceps

foram-se as fodações

fincou-se-me uma deliberada unção

o mágico som de dizer sem falar

de sentir e ousar para o não e o sim

entrar sem bater ou pagar

sons de grátis sentir

sãos de puro devir

escancarar as portas e proclamar :

“Entrem, gestos marítimos de longe levar

entrem, piratas do amor

entrem, guardiões do mistério

sem se licenciar ou despir…”

E entre o advérbio e a dúvida

danço ébrio demais

“Entrem, entrem,

entrem sem bater em mim

gestas e intenções…”

 Paul Degas

 21 de junho de 2012
seja o primeiro a comentar 
MENU
BUSCA
ARQUIVO
janeiro 2018
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Criar Redação | www.cursocriar.com
1991-2018 © Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Netmarco.com