Criar Redação Unidades      Instagram     Facebook     YouTube     Telefones     Contato       
Comentários sobre a prova de redação da Unicamp (texto 1)
domingo, 15 de janeiro de 2017

(Prof. Luiz Cláudio Jubilato)


PRIMEIRO: o aluno deveria seguir PASSO A PASSO as instruções muito claras da prova.
a) O gênero solicitado é uma CARTA DO LEITOR. O texto tem um caráter dissertativo, mas "não é uma dissertação". O aluno viciado em dissertação corre perigo nesse caso.
c) A interlocução é fator determinante: o emissor tem que, em algum momento, deixar claras "marcas" de que é leitor da Revista "Rio Pesquisa", por isso se sentiu desafiado a discutir o artigo "A volta de um Rio que faz sonhar", de Lená de Medeiros de Menezes. Simular uma espécie de "conversa com o editor da revista" ou com "a própria autora".
d) Você "leitor" deve escrever para um "leitor universal", mas, pelo nome da Revista e pelo tema em discussão, podemos perceber que esse leitor universal possui um "nível intelectual" mais elevado.
SEGUNDO: algumas questões devem ser discutidas no texto.
A) O BRASILEIRO É CORDIAL? 
B) O TÍTULO DO ARTIGO É CONDIZENTE COM A DISCUSSÃO OU INDUZ O LEITOR A TER UMA PERCEPÇÃO DIVERSA DAQUELA QUE O TEXTO DISCUTE.
C) DIANTE DESSE QUADRO IMIGRATÓRIO, O PAÍS DEVE PROPOR POLÍTICAS RÍGIDAS PARA CONTER A ENTRADA DE ESTRANGEIROS?
D) A QUESTÃO DA MIGRAÇÃO INTERNA.
E) A QUESTÃO DOS DIREITOS HUMANOS.

Esse tema foi extremamente discutido por professores de sociologia, geopolítica e antropologia, principalmente depois da tragédia humanitária, que representa o atual surto migratório na Europa. 
Reportagens, testemunhos, histórias de superação foram apresentadas em jornais, revistas, redes sociais à exaustão. Essas publicações abriram espaço para uma questão nacional séria, a chegada de bolivianos, haitianos, nigerianos, venezuelanos… (só para ficar em alguns exemplos mais discutidos) ao Brasil, em busca de uma vida melhor.

A migração de nordestinos para "o sul maravilha" e o abandono "zona rural" cada vez mais constante devido a supostas "facilidades" que a cidade oferece.
O candidato não podia deixar de discutir que a "cordialidade" do brasileiro para com povos estrangeiros é um "mito" que não se sustenta, pois o trabalho escravo nas fábricas de fundo de quintal, por exemplo, é "senso comum" nas grandes cidades, principalmente Rio e São Paulo, porém o imigrante abastado, esse não sofre discriminação.
Esse mito pode ter sido criado com a chegada da família real ao país, mas não se sustentou por muito tempo, principalmente no período imigratório pós 1888.
Os textos são pródigos em mostrar exemplos e fatos recorrentes no Brasil, tanto passados. Uma boa inspiração estaria no livro O CORTIÇO, de Aluísio de Azevedo.

COMPARTILHAR
  • Facebook
  • Twitter
  • Tumblr
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • RSS
Notícias
Busca
Arquivo
dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Criar Redação | www.cursocriar.com
1991-2017 © Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Netmarco.com